Páginas

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Jardim

 

 Imagem de autor desconhecido, retirada da net


Debruço-me na varanda dos teus seios

Admiro teu canteiro delicadamente aparado

Onde nasce uma rosa de pétalas sedosas

Com gotas de orvalho ornamentado.

Beberico feito pássaro sedento

Da fonte que nasce do teu umbigo

Extasio-me com sublime gemido

Para sempre guardado comigo.


14/12/2020


sábado, 12 de dezembro de 2020

Água revolta

 

Foto minha


Quero ser água revolta

Que invade tuas raízes

Que fecunda tua seiva

Deixando tuas folhas felizes.

Quero enlear teu tronco

Perder-me nos teus ramos

Transpirar-me contigo

E quimicamente pecamos.

Quero me gravar no teu córtex

Na perenidade do momento

E aquietar-me em ninho

No embalo do vento.

Quero.


12/12/2020



domingo, 29 de novembro de 2020

Um tributo a Gary Moore



Caem do céu... do outro lado da janela
Notas órfãs
sem pauta... nem clave do Sol.
Procuram guitarras poéticas
Possíveis herdeiras
Do mestre dos blues e rock'n'roll.

                                                                            29NOV2020




sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Porque ainda há heróis


    Foto de autor desconhecido, retirada da internet
(num corredor do hospital Curry Cabral em Lisboa)


Pode este Portugal não ser teu?
Este Portugal tão teu e tão nosso.
Tão intenso, nesta vida vivida,
Connosco a partir do berço.
Porque não um pequeno gesto,
Um cuidado com o nosso igual,
Não importa o estado promulgado,
Importar é estado natural.
Vamos dobrar os cabos e tormentas,
Homenagear os Gamas e os Cabrais,
Que navegam dias e noites.
Por todos os nossos hospitais.
Honremos egrégios avós,
Saudemos o que há-de porvir
Cuidando que todos os nossos
Amanhã (ainda) possam sorrir.

                        7NOV2020

sábado, 14 de julho de 2018

Why?





Lindíssima, esta música. “Why?”, o seu nome encerra em si uma pergunta pertinente e apropriada. “Why?” Num encontro de instrumentos e de pessoas que refletem um encontro de culturas e, talvez, de religiões fazem-nos perguntar “Why?”. A música, essa mesma música, que no é trazida por um encontro de instrumentos e de pessoas, que refletem um encontro de culturas e, talvez, de religiões, fazem-nos perguntar “Why?”. A música, essa mesma música, que flui num cenário fantástico e encantado, deve ecoar por aquelas montanhas, perguntando “Why?”… Não, infelizmente não tenho resposta… apenas uma pergunta… “Why?”… Lindíssima, esta música.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Um sonho que perfilho

E se regressei aos anos 80, não poderia deixar de fazer uma especial referência aos primeiros tempos do Rock Português. E no meio de tantas possibilidades de escolha, preferi este ar de rock: Sei de uma camponesa.

Sei de uma camponesa
Que dança à noite na eira
Perfumada de avenca e feno


 


domingo, 14 de janeiro de 2018

In the silent dawn


Um dia, em pleno 1980, numa única tarde, assisti a dois filmes de seguida, talvez por culpa das respectivas BSO/OST





Enjoy